Allen Halloween

Bairro Black

LYRIC

[Letra de "Bairro Black" ft. Buts MC & General D]

[Verso 1: Allen Halloween]
Quem é que é a puta sangrenta, pedófila, rainha do regabofe?
Só tem tesão p'a foder meninos
E o chulo dela é o maior bandido
Isto parece conversa d'um ditado
Parece inventado mas isto acontece deste lado
Mais um puto d'um bairro degradado assassinado
Eliminado por um agente do Estado
Era bandido, era mitra, era nigga
Tinha problemas com a justiça
Como no estado fascista capitalista
A história será encomendada a um jornalista
E a cabra sai matando
O preto, o cigano, o pobre branco
E vai matar até quando?
Até o circo pegar fogo, mano
Porque o juiz é um palhaço

Quem é que é a puta sangrenta, pedófila, rainha do regabofe
Só tem tesão p'a foder meninos
E o chulo dela é o maior bandido

[Refrão]
É rusga na madruga
Os homens fecharam a rua
Com cães e carros de patrulha
Fuga, no beco buga
Caçadeiras uncha
É uma noite que não acaba nunca
É rusga na madruga
Os homens fecharam a rua
Com cães e carros de patrulha
Fuga, no beco buga
Caçadeiras uncha
É uma noite que não acaba nunca
É um abuso no bairro black
É um abuso no bairro black
É um abuso no bairro black
É um abuso no bairro black

[Verso 2: General D]
Reghetização e perseguição
Alguém venha-me explicar o estado desta nação
Desde puto muito cedo nesta pressão
O meu pai trabalhador fica nesta humilhação
Uma fuga da polícia já tentei mais uma vez
Conheço bem o sistema, já fiz tempo no xadrez
Tenho um mês de fora mas já me querem de volta
Não, não ponho os pés mais nessa poça irmão
Polícia chega na briga, mandando bala perdida
Chutando a família, chutando a vizinha
Vejo maca estendida, mana ferida
Apanhada na corrida
Polícia quando chega não pergunta, só castiga
Abuso sujo, é o cheiro do cartuxo
Uma noite muito longa no bairro onde me refúgio
Eu nunca fujo, yeah, yeah

[Verso 3: Buts MC]
[?] nha vida, matilha ki é dos fardado
Ez ata ladra, ez ata uiva
Si ez ata uiva, alguém des chiba
Di cerca kaza, ez romba porta
Undi mandato, kuzé ez ben busca
Dexa ez revida, nada ez ka tadja
Si é camuflado, é na [vasilha?] ki ez ta parci
Ciente ta dizia, mordida tira pelo
Niggas e niggas ta trama, kompanheru
Tudu em nomi di dinheru, subi vida e sta primeru
Ka [?] língua
Misson [?] falhado
Snitches sa pa tudu lado

[Refrão]
É rusga na madruga
Os homens fecharam a rua
Com cães e carros de patrulha
Fuga, no beco buga
Caçadeiras uncha
É uma noite que não acaba nunca
É rusga na madruga
Os homens fecharam a rua
Com cães e carros de patrulha
Fuga, no beco buga
Caçadeiras uncha
É uma noite que não acaba nunca
É um abuso no bairro black
É um abuso no bairro black
É um abuso no bairro black
É um abuso no bairro black

[Ponte: Sample]
Reghetização

[Outro: Allen Halloween]
Fuck the police
Muthafuck the police
Snitch

Added by

admin

SHARE

Your email address will not be published. Required fields are marked *

About "Bairro Black"

“Bairro Black” é a oitava faixa do Album Híbrido de Allen Halloween de 2015.

Como tema da música está a atuação policial violenta nos chamados “bairro black”, localizações urbanas em Lisboa (no caso do rapper de Odivelas) em que moram indivíduos de etnia negra.

Portugal, segundo um relatório lançado em 2018 da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância, é um país em que a violência policial racista é uma realidade. O organismo utilizou o exemplo das agressões da PSP de Alfragide, que em 2015, agentes agrediram alegadamente um homem de 36 anos que foi alvo de fiscalização e detenção. Na esquadra, foi obrigado a despir-se integralmente e a fazer flexões enquanto os polícias o agrediam.

Bairro Black Track info

Video