Xeg

A Diferença

LYRIC

[Verso 1]
Rimas eu escrevo, e na batida quebro
O movimento vai crescente, é isso que eu celebro
Várias rimas que faço, sem terminações de verbo
Interligações do meu cérebro
Dos meus pulmões, boca, cordas vocais
O que me permite ter dicções
A diferença não 'tá entre ter ou não colhões
É que sonhos não realizados, mais tarde são frustrações

É indiferente a cor, o sexo ou a cidade
Uma vez MC, MC pra sempre de verdade
XEG cria não baita
Rima não fighta
Improvisa, legaliza como pipes na Jamaica
Porque eu não quero a fama mas sim o reconhecimento
Não com a imagem mas sim com o talento
Rápido ou lento, dentro ou fora do tempo
E eu pego no microfone, a minha cultura eu represento
Solto como o vento, direcionado como um tiro
Sem editoras, exploradoras que te sugam como vampiros
Atiro, retiro, as costas viro
As minhas primeiras rimas ainda foram escritas em papiro
Simples mas boas, como produções do Premier
Não sou fabuloso nem boy da Wu-Tang streetwear
Não vale a pena fazeres-te difícil como se fosses uma mulher
Porque todos nós sabemos bem aquilo que tu queres
Cortes no vinil headspin winmil
Aerossol nas paredes, rimas, beats e skill
E a nova revolução estilo 25 de abril
Só que não estamos em 74, estamos no ano de 2000
E um Hip-Hop não é violência, muito menos infantil
Rimar não é boxe estilo Tyson ou Holifiel
E enquanto alguns MC's vão perdendo o fio
Eu vou aparecendo com mais truques que o David Copperfield
Rimas mil, flow
Calmo e versátil
Ouves-me a rimar, ficas a pensar que esta merda é fácil
Então, tenta, inventa, faz à tua maneira
XEG na casa, 2 anos como nas palmeiras
DJ's e MC's na mesma cassete
Edições underground deixa editoras com stress
Faço o que me apetece
Não há mic que eu não pegue
Quando eu começo a rimar, não há beat que não carregue
O meu nome é XEG na rima sou tipo Mohammed
Ali Cassius Clay em versão MC
Tudo aquilo que eu aprendi, é aquilo que eu ensino
Assassino domino sempre tranquilo quando rimo
Se está quente, eu ponho abaixo de 0
Apareço na tua frente, marco como Del Piero
Rimar é o que faço, continuar é o que quero
Se me conheces pessoalmente sabes que eu 'tou a ser sincero
MC's em Portugal
Deram para comercial
Mostraram falso rap às pessoas
Tornaram o banal
Voltaram ao underground porque não venderam
Querem representar o movimento a que nunca pertenceram

Paz para a NP
Para a Microlândia Crew
30 Paus
Cruz, filhos e Matozoo
Para UrbanSkillz
Sam The Kid e GQ
Para o meu parceiro Veneno
E para os meus brothers Plu, Nas, Mo
Com entusiasmo
Damas têm orgasmos, apenas com palavras
Tudo o que é bom acaba, mas se tiveres talento
É naturalmente que chega o reconhecimento

[Verso 2]
MC's vão e vêm como sucessos pimba
Meu rap continua sagrado como vacas na Índia
Porque eu deixo-te assim
Rijo como pau de cabinda
Então seja bem vinda, ou seja bem vindo
O movimento vai crescendo
O comercial vai caindo
Continuo indo e vindo à deriva, com fé
Entrando em transe, como mãe de santo
Em Cadumblé
Pois já sabes como é
Quando no mic está X-E-G
Ninguém sabe, não e ninguém vê
Mas XEG concretiza
Escreve e improvisa
Desafiar-me verbalmente é como ir às putas sem camisa
Realiza o teu sonho, segue-o sem medo
A nossa diferença é que eu penso quando escrevo
Não vejo isto como um hobby, nem vejo como um emprego
Aparições como Fátima, tiro-te sem segredo
Agarro no mic e faço-o com os cinco dedos
No palco abafo em cima, como o Jé-C abafa os gregos
Com as tíbas que bebo quando vou a uma party
Nesta selva sou de cá, não vim cá fazer safari
Não preciso de fumar ganza, sou um MC não um rastafari
Porque eu chego do nada, mas venho com tudo
Na minha filosofia, a realidade é o objeto de estudo
A situação tá grave, o meu rap sai agudo
Porque enquanto isto não mudar, eu também não mudo
Fazendo rimas com toda a naturalidade
Fazendo ouvir a minha voz em vários pontos da cidade
Igualdade não vejo e a verdade 'tá desfocada
Mas ser MC é não querer ser mais nada
A porta da entrada é a mesma da saída
A lotação 'tá esgotada nos quatro tempos da batida
Não tenho medo do teu rap, nem deste nem do teu próximo
Se eu te abafasse no microfone era um pedófilo
Deixando o público louco como um ataque de brucelose
XEG no mic, X-E-G mais uma dose
Rimóalcoolismo a.k.a cirroses
Porque eu e a minha música vivemos em simbiose
Se não der por osmose, vai por transporte ativo
Se me ligares para casa, venho em 3D interativo
Rimo horas de seguida, sempre em plena evolução
Rimar é como foder, até parar o coração
Achas que não?
Queres que eu te prove?
Pego num mic à canzana, e rimo à 69
Rap é Perestroika
Eu sou Gorbachov
Não abuses da confiança
Porque no verão também chove
[Outro]
DJ Veneno
UrbanSkillz

Added by

admin

SHARE

About "A Diferença"

?

A Diferença Track info

Video